quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Naturalismo (1870-1900)

Naturalismo é uma escola literaria, vertente do realismo também definido como o realismo extremo. Procura explicar cientificamente (com negação do sentimento e da metafísica) a conduta e o modo de ser dos seres por meio dos fatores externos e da natureza biológica e sociológica.

"Os seres são como produtos, como consequência de forças preexistente que limitam a sua responsabilidade e os tornam, nos casos extremos, verdadeiros joguetes das condições. [...] o efeito das taras, das doenças, dos vícios, na formação/desvio do caráter juntando-lhes os efeitos complementares da formação familiar, da educação, do nível cultural." Antonio Candido e José Aderaldo Castello

"O Romantismo era a apoteose do sentimento; - o Realismo é a anatomia do caráter. É a crítica do homem. É a arte que nos pinta a nossos próprios olhos - para condenar o que houve de mau na nossa sociedade." Eça de Queirós

Teorias:

Zoomofismo
Determinismo do meio
Evolucionismo
Eugenia
Naturalismo (oposto ao espiritual;  redução do homem ao animal, como se ele não pudesse contrariar os instintos mais primários)
Materialismo (séc. XIX) (<> idealismo + metafisicismo + sentimentalismo)
Método de Taine: o homem à luz de três fatores determinantes: meio ambiente, raça e momento histórico

Influência dos cientistas como Darwin; Hippolyte Taine; Spencer (Evolucionismo); Thomas Hobbes (séc. XVII, “O homem lobo do homem”).


Nenhum comentário:

Postar um comentário